Artes Visuais

Instalação retrata a banalização da violência

Obra do artista paraense Teodoro Negrão

A instalação “Máscaras, janelas da alma: por trás delas, nem tudo são flores”, do artista paraense Teodoro Negrão, está em cartaz na Galeria Theodoro Braga, no Centur, e pode ser visitada até o dia 27 de setembro, de segunda a sexta, das 9h às 18h. A entrada é franca.

Na obra, o artista expressa suas angústias acerca da banalização da violência, da falta de humanidade com o próximo e sobre como reagimos a ela. A partir desse objetivo, Negrão produziu um trabalho composto por três objetos escultóricos e áudios que sugerem ao espectador uma reflexão sobre o seu comportamento no meio que vive, além da utilização da parede como suporte para que esse espectador deixe sua síntese de reflexão sobre o tema.

“As máscaras que construímos ao longo da vida acabam nos prendendo a expressões, comportamentos e atitudes as quais lutamos ou não, diariamente, para nos livrarmos, pelas amarras que elas nos trazem ou pelo excesso de confiança que elas podem proporcionar”, explica o artista.

O autor da obra, que é graduado em História e Artes Plásticas e Visuais, observa que aqueles que perderam pessoas próximas quase sempre escondem o que sofrem por ser mais conveniente “mascarar” esses sentimentos do que expô-los à sociedade.

Foi daí que veio a ideia para o projeto que deu origem à instalação, pois o artista percebeu que “aqueles que convivem com os agredidos preferem fingir que não sabem ou não enxergam o sofrimento escondido e expor a fragilidade dessas pessoas, escondidas em seus casulos e redomas que os protegem do resto do mundo”, conclui Negrão.

*Com informações da Assessoria
  Foto: Divulgação

Serviço

De 06 de setembro - QUI

Até 27 de setembro - QUI

19h - 06/09 - Abertura

9h às 18h - Seg à sex - Visitação

Galeria Theodoro Braga

(Gentil Bittencourt, 650)

(91) 3202-4391

Grátis