Música

OSTP é considerada a melhor orquestra de 2017 no Brasil

Avaliação é da revista especializada Movimento.com

A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) foi considerada a melhor orquestra de 2017 pela execução da ópera “Don Giovanni”, de Mozart, durante o XVI Festival de Ópera do Theatro da Paz, em setembro. A menção é da revista movimento.com, uma das principais publicações de música erudita do país.

O crítico Leonardo Marques, autor do balanço nacional publicado no dia 30 de dezembro, observou que desde que começou a fazer a retrospectiva anual, com a indicação dos melhores do ano, esta foi a primeira vez que uma orquestra superou a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (OSMSP). A realização do evento foi do Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult). Confira o balanço aqui.

É um feito para a sinfônica, que encerrou este mês a sua temporada comemorativa de 20 anos de criação. A montagem de Don Giovanni, a grande atração do festival este ano, recebeu ainda destaques de melhor regente com o mineiro Maestro Silvio Viegas; melhor cenário pelo trabalho de Nicolás Boni; melhor direção cênica com a rigorosa mão de Mauro Wrona; e cantores revelação, com destaque para a paraense Kézia Andrade, como Donna Elvira, e o paulistano Anderson Barbosa, o Commendatore. O maestro Miguel Campos Neto comemora e destaca que desde 2011, quando assumiu a titularidade do grupo, buscou desenvolver um processo de reconstrução da OSTP.

“Várias medidas foram tomadas para a maior valorização dos músicos que já eram veteranos da orquestra bem como para a contratação de novos músicos formados pelas escolas de música de Belém, que a cada ano que passa produzem mais novos profissionais. Com isso, a orquestra quase dobrou de tamanho nesses sete anos, sem falar que a sua qualidade cresceu de maneira exponencial. Esse reconhecimento da crítica especializada nacional vem agora atestar principalmente a qualidade dos nossos músicos, mas esse talento individual floresce apenas graças ao trabalho conjunto da gerência de música da Secult, da direção do Theatro da Paz, da Academia Paraense de Música, e do grande investimento que o governo do estado faz na cultura paraense”, disse o maestro.

*Com informações da assessoria
Foto: Rodolfo Oliveira

 

 

Serviço

Grátis