Música

“Tributo a Elis Regina”, com Anderson Moyses

Show neste sábado, Casa do Fauno, revisita repertório consagrado

Se estivesse viva, Elis Regina Carvalho Costa faria 74 anos no dia 17 de março. Dá para imaginar o quanto a ‘Pimentinha’, com seu talento inigualável e seu temperamento explosivo, ainda estaria aprontando na cena musical brasileira. Mas a maior cantora do País passou como um furacão pela Terra: morreu há exatos 37 anos, com quase 37 de idade também, em 19 de janeiro de 1982. Em tributo a Elis e a sua grande arte, e para marcar a data em que ela disse adeus, o cantor Anderson Moyses fará show na Casa do Fauno, em Belém, neste sábado (19), a partir das 22 horas. A direção artística é de Cacau Novais.

Nascido em 1994, 12 anos depois da morte de Elis Regina, Moyses, de apenas 24 anos, é mais que admirador da artista. Considera-se ‘benemérito’ do fã-clube universal da cantora. Ouve-a desde cedo, e confessa que começou a cantar por causa dela, dando “canja” em bares antes de profissionalizar-se. “Elis é o meu mito, minha maior inspiração. Todo ano eu a homenageio em meu show autoral de música paraense, incluindo material dela no repertório. Mas sempre tive o desejo de fazer um espetáculo cantando exclusivamente suas canções. E vai ser agora”, confessa o cantor.

Apadrinhado na carreira por Ronaldo Silva, um dos mestres-fundadores do Arraial do Pavulagem, Anderson Moyses já homenageou, no palco, outro de seus mitos musicais: a cantora Clara Nunes. Sobre os bastidores do show, Moyses conta que que ‘vendeu’ a ideia do tributo a Elis à cantora e produtora musical Cacau Novais, que costuma, ela própria, interpretar Elis Regina com pegada de jazz. A cantora-produtora topou na hora. “É claro que não se trata de uma superprodução, mas de um show pequeno, intimista, acústico, mas trabalhado nos mínimos detalhes – nos arranjos, nos figurinos, no repertório”, adianta Moyses, que virou o ano ensaiando bastante para fazer bonito no palco.

Acompanhado pelo percussionista Heraldo Santos, do Arraial do Pavulagem, e pelo guitarrista Silvio Junior, que vai tocar violão no show, Moyses pinçou o suprassumo do repertório de Elis Regina para o show de sábado na Casa do Fauno. O set list inclui clássicos como ‘O bêbado e a equilibrista’, ‘Como nossos pais’, ‘Onze fitas’, “Alô, alô marciano’, ‘Fascinação’, ‘Casa no Campo’, ‘Arrastão’, ‘Corsário’, ‘Black is beautiful’, ‘Joana Francesa’ e ‘Atrás da porta’. “Cada canção tem sua história, e eu vou contar um pouco dessas histórias ao longo do show”, promete.

Para dividir com Anderson Moyses a responsabilidade de homenagear não apenas uma grande voz – reconhecidamente a maior da MPB –, mas um cantora que, com suas habilidades dramáticas, transformava cada canção numa performance inimitável tanto no palco quanto em estúdio, o artista terá como convidados a cantora de jazz Luana Almeida e o cantor de MPP Nean Galuccio. “Só posso adiantar uma coisa: todos estamos operando no modo Elis Regina de fazer música, que é o modo da paixão”, finaliza o cantor.

Serviço

19 de janeiro - SÁB

22h

Casa do Fauno

R. aristides lobo, 1061

(91) 99336-0519

R$15