Teatro e Humor

“Um Último Tango Para Isabel Tejada”

Grupo Experiência apresenta espetáculo, de 25 a 28 de abril

Em meados dos anos 40, uma cafetina peruana foi morta em um bordel pelo próprio amante, no bairro do Reduto. A sociedade paraense acompanhou o caso com grande expectativa, até a polícia finalmente desvendar o crime. O amante havia matado a cortesã para lhe roubar as joias e levantar dinheiro para fugir com sua noiva, uma moça de família, acima de qualquer suspeita. Esse enredo, que de fato aconteceu em Belém, inspirou o teatrólogo Carlos Correia na criação do espetáculo “Um Último Tango Para Isabel Tejada”, que o Grupo Experiência apresenta, no Teatro Waldemar Henrique, nos dias 25, 26, 27 e 28 de abril, a partir das 20h30.

“Foi um crime que chocou, na medida que o dado emocional é que era o fato. O mais interessante nessa história é que era uma prostituta, que foi assassinada pelo cara a qual ela se apaixona. Ela rompe um código do ofício da prostituta que é não se apaixonar pelo seu cliente”, comenta Carlos Correia, autor do texto do espetáculo. Além de retratar personagens reais, a obra apresenta também elementos ficcionais como a presença de um anjo vingador e um acerto de contas entre a vítima e a namorada do assassino. “A gente vai apresentar um espetáculo Nelson Rodriguiano, que seja forte, que sacuda um pouco a cidade”, revela Geraldo Salles, diretor geral do espetáculo. Para isso o Experiência levará ao palco um elenco formado por 18 atores que contam uma história sobre amor, traição e vingança enriquecida com números musicais e grandes interpretações.

Além de ter a tragédia como pano de fundo, o espetáculo vai trazer de volta as memórias de uma Belém pacata, que ainda vivia sob os louros da Belle Époque e da economia da borracha, que possuía uma elite social e política conservadora e, sobretudo hipócrita. “Na etimologia Theatrium é lugar de ver. A função do teatro é pegar as coisas da sociedade e colocar na arena. É dizer ‘Olhem. Enfrentem’. É assim que nós somos’. Acho que o tema é bem pertinente, porque fala um pouco da hipocrisia religiosa, diz ainda o diretor Geraldo Salles.

No elenco: Cláudio de Melo, interpreta um político que posa de impoluto e, em particular, se comporta como um debochado; o ator Marcelo Nunes dá vida ao delegado Moura; e a cafetina Isabel Tejada, personagem principal da trama, é interpretada pela atriz Andréia Rezende. Na peça, ela contracena com Ewerson Marques,, que interpreta o “Marinheiro” sedutor. “O que eu posso destacar de mais valioso nesse espetáculo é a interação. A trama tende a envolver o espectador, ultrapassando as barreiras do tempo, trazendo profunda reflexão moral em modo cênico”, diz o ator.

“Um Último Tango Para Isabel Tejada” estará em cartaz de 25 a 28 de abril, às 20h30, no palco do Teatro Waldemar Henrique (Praça da República), com ingressos a R$ 20 (antecipado na Livraria Fox) e R$ 40 (bilheteria do teatro).

Serviço

De 25 de abril - QUI

Até 28 de abril - DOM

20h30

Teatro Waldemar Henrique

Av. Pres. Vargas, 645

(91) 99609-5842

R$ 20 (antecipado, na Fox Livraria) / R$ 40 (na bilheteria)